Aprendendo com os filmes - Vingadores: Guerra Infinita

Confira  5 lições que um dos filmes mais ambiciosos da década pode trazer para seu negócio

Um dos filmes mais aguardados dos últimos anos finalmente estreou no cinema e já vem se colocando entre as maiores bilheterias de todos os tempos. Um trunfo de dez anos de trabalho da Marvel que certamente tem muito a ensinar na área de negócios. Veja 5 lições que Vingadores: Guerra Infinita tem a ensinar para empreendedores (sem spoilers, eu prometo).

O cartaz de Os Vingadores: Guerra Infinita - tão bem planejado quanto os filmes que a marca produz

 

1 – Planeje bem o lançamento de novos produtos

 

 

Há 10 anos, quando a Marvel lançou o primeiro filme sobre a sua batuta - Homem de Ferro - ela já tinha decidido lançar vários outros com diferentes personagens que eventualmente iriam formar a equipe dos Vingadores. E tudo com tudo saindo de acordo com o planejado, a adaptação da história em quadrinhos Guerra Infinita iria reunir a todos. Cada ator foi escolhido a dedo. Cada filme feito com uma linguagem própria. Basta ver como o filme dos Guardiões da Galáxia tem outra pegada em relação aos do Capitão América, por exemplo.  Nem todos foram bem acolhidos, certamente. Contudo, é impossível ficar indiferente ao sucesso de filme que exige do telespectador ter assistido a praticamente todos os 18 anteriores. Sem contar que vários outros filmes já têm lançamento programado.

2 – Seja ousado

 

Lançar todo este universo de filmes de heróis e reuni-los foi uma empreitada muita ambiciosa e inédita até então. Há tempos vemos sequências de filmes que se conectam entre si, mas a Marvel foi pioneira neste formato de conectar filmes e juntar quase todos os heróis numa película só (divida em duas partes).

O risco de que o público ficasse perdido em meio há um grande desfile de super-heróis era enorme. No entanto, o filme consegue em grande parte dar atenção a todos e desenvolver uma história simples, mas engajadora, que envolve uma corrida para evitar que o vilão adquira todos os itens que precisa para levar seu plano adiante. E aqui vem outra ousadia, pois em meio a tantos heróis, o foco é o vilão. E o final do filme, logicamente, também tem sua pitada de arrojo.

3 – Revise suas ideias originais, se for para alcançar melhores resultados

Os Guardiões da Galáxia se juntam aos vingadores para conter Thanos

Como mencionei anteriormente, o filme é uma adaptação de uma das histórias em quadrinhos da Marvel. Isso não quer dizer é uma cópia da história original, que foi adaptada pelos diretores Joe e Anthony Russo. Eles viram, por exemplo, que se mantivessem a motivação original do vilão, o filme poderia não ter o mesmo impacto. E apesar de serem muitos fãs dos quadrinhos, decidiram fazer as mudanças que julgavam necessárias. Outro filme da Marvel que também não foi fiel aos quadrinhos foi Thor: Ragnarok. E considerando a ótima recepção que teve do público e crítica, é difícil dizer que as mudanças não foram para melhor.

 

4 – Ouça seus clientes, tome ações corretivas e avalie os resultados

Aproveitando que falamos do último filme do Thor, as mudanças feitas não foram apenas em relação aos quadrinhos, mas à linguagem e ao “clima” dos filmes anteriores também. Isso ocorreu diante da baixa receptividade do filme anterior: Thor e o Mundo Sombrio (e possivelmente pelo grande sucesso de Guardiões da Galáxia). Assim, o filme ganhou um tom muito mais leve e se tornou, praticamente, uma comédia.

 

A Marvel está sempre atenta aos comentários feitos sobre os filmes e observando oportunidades de melhoria. O próprio visual do vilão, que aparecia principalmente em cenas pós-crédito, foi evoluindo com base no feedback que recebiam. A versão final (veja o comparativo ao lado) ganhou um aspecto mais humano. Isto casou com o próprio personagem, que foi elogiado como uma evolução em relação aos vilões pouco convincentes de filmes anteriores da Marvel (com exceção de Loki). O que é um feito, se considerarmos que vilões gerados por efeitos de computador não costumam ser persuasivos.

As mudanças no visual do vilão Thanos desde sua primeira aparição nos filmes da Marvel

5 – Administre os egos entre a sua equipe

 

Com tantos atores famosos num mesmo filme, alguns inclusive ganharam grande status no papel de super-herói, era possível que rivalidades e picuinhas pudessem surgir e azedar o clima por trás das câmeras. Afinal, situações assim não são raros em Hollywood. No caso dos filmes da Marvel, é interessante ver como os atores criaram uma verdadeira amizade depois de tantos anos juntos. E os que entraram mais recentemente demonstram grande respeito pelos que estão há mais tempo neste jornada, como mostra esse vídeo abaixo.

Como mostrou o fracasso do mais recente Quarteto Fantástico, o clima nos bastidores de um filme pode fazer tudo ir ladeira abaixo. Certamente, há um trabalho muito bom da parte de produtores e todo o time da Marvel Studios para que o clima por trás das câmeras seja muito bom.

 

Acredita que o filme trás outras lições empreendedoras? Partilhe sua opinião nos comentários abaixo e veja outros artigos sobre filmes e suas lições empreendedoras no nosso site.

Artigo fermentado em 14/05/2018

Artigos relacionados

Autor:

Mauro Rodrigues - Consultor em Inovação no Relacionamento com o Cliente

 

Consultor e idealizador do Fermento nos Negócios, sou apaixonado por cinema e gosto de refletir sobre os aprendizados que bons filmes podem nos transmitir. SAIBA MAIS...